• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • LinkedIn - círculo cinza

Pelas Mãos de Alagoas

Imersão, pesquisa e texto

Pelas mãos de Alagoas: um inventário de lugares, ofícios e pessoas.

(Foram intensos sete dias de viagens pelo território de Alagoas acompanhando o registro do seu artesanato através da fotografia. Partindo todos os dias da capital, Maceió (deixando para traz uma cidade bastante líquida, onde o mar percorre toda sua costa leste e a Lagoa Mundaú, toda sua porção oeste), rumo aos interiores e suas mais diversas paisagens: Sertão, Agreste, Zona da Mata, litorais sul e norte.  Nesses movimentos de ir e vir, de conhecer e reconhecer, de ver e rever, de construir novas memórias e recordar antigas experiências vividas, me aproximei verdadeiramente do estado onde nasci. Passei a me sentir como parte da paisagem: na medida em que elas passaram a me habitar, também me senti habitando-as.)

-

Série de seis textos produzidos para a seção Pelas Mãos de Alagoas, uma cartografia da arte cotidiana do estado, foi publicada no site do Brasis, dentro da editoria da Dedo de Prosa, que traz histórias brasileiras inspiradoras, destacando as pessoas e seus ofícios.

Os textos publicanos mensalmente, entre julho de 2015 e fevereiro de 2016:

 

Pelas mãos de Alagoas 01: Dona Irinéia e o barro do Muquém

“O saber de um lugar onde o barro, mãos e cabeças falam sobre tradição, criatividade e resistência”.

 

Pelas mãos de Alagoas 02: João em Capela

“Manuscritos de barro que representam uma região, um cotidiano, o homem do interior do Nordeste”.

 

Pelas mãos de Alagoas 03: Mestre André da Marinheira

“É no exercício diário de observar o meio, que o artesão vai descobrindo os animais contidos nos troncos das árvores”.

 

Pelas mãos de Alagoas 04: Antônio de Dedé e do Agreste

“Em Lagoa da Canoa, um relicário de seres fantásticos esculpidos na madeira”.

 

Pelas Mãos de Alagoas 05: Ilha do Ferro 1

“A madeira como manifesto do imaginário de um povoado ribeirinho e sertanejo”.

 

Pelas mãos de Alagoas 06: Ilha do Ferro 2

“O bordado Boa-Noite como a tradução feminina da poética Ilha do Ferro”.

-

Fotos por Michel Rios

 

(Fotografia de capa: detalhe da obra de Petrônio).